MAIS PÁGINAS BALEIAS!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

MARATONA DE CARACAS, fechando o ano de Maratonas na companhia dos amigos do Recife e os novos amigos de São Paulo!


Amantíssimo Universo Baleias!

Baleias e Acorja estiveram em Caracas para o encerramento do ano de maratonas correndo a 2ª Maraton de Navidad!

Já cansei de dizer aqui que correr em companhia dos amigos do Recife é simplesmente maravilhoso. Estar na companhia de Júlio Cordeiro, Maratonista Pernambucano, e seus amigos é ter certeza de que tudo será muito bom. Juliana Job cometeu erros estratégicos graves e não pode estar presente. Na próxima espero que escute mais a sabedoria Baleias!

E dentre tudo o que aconteceu, o fato mais significativo foi o pódio de Marinês Melo, atleta do Recife e amiga Baleias que ficou em 4º lugar em sua categoria. A felicidade da amiga corredora resume tudo.

Outros dois detalhes coroaram de alegria esse final de semana.

Conhecer Ricardo Galinho, mais um Baleia no seio da Acorja, foi sensacional.  Incrível a identificação da Equipe Baleias com o corredor pernambucano. Se eu não fosse comedido e reservado diria nesse blog que nos apaixonamos pelo cara. Com poucos minutos de conversa ele disse que chegando ao Recife iria se inscrever para correr Berlim conosco. Quer mais? Tenho certeza que correremos outras provas mais em 2011.

O outro fato marcante foi conhecer o casal de brasileiros Fernanda Campos, que fará o Ironman esse ano e Ricardo, seu marido, já Iroman. Casalzinho Baleias esse. De uma alegria e simpatia maiores do que as provas a que se propõem. 

A prova em Caracas, que para nós todos esteve rodeada de apreensões pela questão do clima, inseguranças sobre a estrutura e tudo o mais sobre uma maratona em sua segunda edição, transformou-se numa sucessão de desafios e superações que deixou a todos muito satisfeitos, cada um com sua história individual foi feliz na Maratona de Caracas e isso foi muito bom e interessante. Os detalhes contarei no decorrer de la carrera.

Os diversos avisos que recebemos sobre a insegurança e violência em Caracas nos atrapalhou sobremaneira a aproveitar a estadia lá. O tradicional modo tranquilo de passear pelas cidades das maratonas não se verificou, como também não se verificou nenhum ato de violência que justificasse tanta prudência e receio  de nossa parte no exercício do turismo. O zero a zero nos derrotou.

Em mim ficou uma sensação de injustiça com a cidade. Se não tivessemos sido tão alertados  negativamente teríamos outros olhos para o final de semana na Venezuela.

O ponto negativo foi o desaparecimento do passaporte de Júlio Cordeiro. Ao clima já carregado de receio e medo se somou a apreensão sobre como voltar ao Brasil. Mas deu tudo certo e aprendemos mais uma coisa no mundo do turismo. O consulado deu uma autorização para o Júlio viajar de regresso ao Brasil.

Mas no conjunto da obra não tenho dúvidas de que todos nós que lá tivemos gostamos muito de estar lá. 

O marco inicial dessa viagem se deu em São Paulo quando encontramos com um amigo frequentador assíduo do blog Baleias.
 
O encontro de Wu com o homem de ferro foi um prenúncio, uma vez voltou a fazer uma prova brilhante e prazeirosa, mostrando que o herói do blog Baleias está de volta à melhor forma. Uma grande satisfação perder novamente do grande amigo.
Já na companhia de Tinil que chegara de Goiânia encontramos com os amigos de Pernambuco, Paulo Gustavo, que perdeu de novo para mim, coitado, Paulo Sobral, Almir, Marinês e Ricardo Galinho.
Com os amigos nossa tradicional foto do voo ficou mais completa e diversificada.
Wu atacando de homem culto devora um livro sem figuras.
Superadas as dificuldades de chegar ao hotel, uma vez que Caracas e toda a Venezuela sofrem com as chuvas, tivemos que fazer o câmbio para possuir Bolívares Fuertes. A foto acima é no momento de dividir a moeda local adquirida, digamos, de um corretor autônomo. Complicado o sistema do câmbio lá, mas fazer o que quando a oficialidade nos empurra para a ilegalidade?
O primeiro encontro com a noite de Caracas já na companhia de Ésio e Júlio Cordeiro que vieram em outro horário. O mundo Baleias não tem ideia de como foi demorado chegar a esse momento de descanso. Chegamos no aeroporto às 14.30 e somente à noite conseguimos sair para conversar e começar a conhecer Caracas. A informação sobre a "ciudad peligrosa" já estava, infeliz e irremediavelmente, amalgamada entre nós, passada pelos próprios venezuelanos.
No sábado no momento de buscar o kit Marinês Melo desce com a blusa Baleias que levei  para a amiga Baleias e que meu filho Marcelinho desde a maratona de Punta del Este me cobrava a entrega. A gentileza dos amigos pernambucanos enchem o coração Baleias de felicidade.
E Júlio Cordeiro, mais uma vez demonstrando sua amizade conosco, também desce de Baleias. O amigo trouxera seu manto coral, como também em outras oportunidades o usara em viagens. E Ricardo Galinho cuja identificação foi imediata com a Equipe Baleias também mergulhou nesse mundo coral de amizade e satisfação simplesmente por estarmos juntos.

Nessa manhã eu percebi que a Maratona de Caracas, independente de qualquer coisa, seria uma das melhores de minha vida, porque gosto dos amigos, gosto da Equipe Baleias e vivendo entre amigos que nos tratam com carinho, me sinto no paraíso. E a partir dessa manhã o paraíso se apresentava ali.
Ésio, nosso Maratonista Camarada, amigo Baleias do CVR de Recife, equipe do cultuado Dimas, ainda se preparava para realizar o incômodo câmbio de valores de lá. Ésio e o câmbio, essa novela durou dias.
Os momentos de emoção não paravam. De repente um motorista me grita na rua: Miguelll Dellllgado. Era o extase; ser conhecido na rua em Caracas por um venezuelano. Era Ernesto Linzallata, jornalista do El Universal, especializado em corridas, com quem troquei informações desde o começo do ano sobre a prova . Trazia o amigo o jornal do dia com a informação de que dentre os estrangeiros que correriam a prova haviam duas chicas: Marinês Melo e Fernanda.

Caracas também se desenhava um sucesso para Marinês. Matéria do jornal no sábado e pódio no domingo!
E Júlio tentava fazer sua máquina tirar uma foto automática.
Grande espera!
Se deu certo somente Júlio poderá dizer.
Tinil com a linha de ônibus Baleias TransChacao!
Os turistas brasileiros na praça do obelisco, av. Francisco Miranda, bairro Chacao, Caracas/Venezuela.
A vida acontecendo em Caracas num parque que rodeamos porque o Tinil achou por bem levar a todos para uma voltinha antes de buscar do kit.
E chegamos no local de entrega do kit. Marinês como a única mulher até aquele momento no grupo de brasileiros era a mais convidada para as fotos de forma a tornar o blog Baleias mais bonito e delicado, posto que redigido por um esforçado gordo.
A alegria Baleias esconde a bronca da fotógrafa. Aliás, a gentil pernambucana dá bronca o tempo todo.
Wu num momento Baleias singelo. A moça deu a entender que o papagaio queria ir para o ombro de Wu que emocionado pela escolha o cedeu de bom grado.
Até que entendemos tudo!
Os brasileiros com o Tomáz Lourenço de lá. O editor da Revista Maraton, publicação que completa 23 anos em dezembro de 2010, quis tirar uma foto com os brasileiros. Acho que vai rolar Acorja e Baleias na próxima edição.
E no metrô de Caracas, onde toda a população se encontra e tenta entrar e sair do trem ao mesmo momento. O último momento de descontração total porque ao fim da viagem Júlio Cordeiro daria falta de seu passaporte.
Dividido o movimento, com Júlio e Paulo Gustavo indo atrás do passaporte que poderia ter sido perdido na feira e os demais amigos pernambucanos que voltaram para o hotel, fomos almoçar os três Baleias e nosso amigo Ésio Cursino, autor da foto onde vivemos mais um momento de homenagem e celebração dos amigos. No caso, Yen Nguyen, que com seu marido Peter Bennett, amigos Baleias de Huston/Texas, com quem corremos em Lima, Quito, Assunção, Punta del Este e Bogotá, correm o mundo no Projeto 50 maratonas em 50 países. Projeto de dar água na boca aos Baleias.
À noite na portaria do hotel uma banda apareceu na maior algazarra.
Claro que eu e Wu descemos e conosco Paulo Gustavo. E homem para gostar de festa!
Eram os fãs do Clube de Futebol Deportivo Petare, agora meu time na Venezuela, que estavam alí para abraçar os idolos.
Eu e Wu com o craque do time, que fala português.
Tirei fotos com os goleiros para meu filho Marcelinho e ainda peguei os autógrafos. Um dos goleiros é o goleiro da seleção nacional. Pronto, mais uma festa Baleias acessória. A foto é de Paulo Gustavo, o homem da nigth!
Amanhecido o dia, Baleias preparados para a prova.
E com os amigos em disparo automático da excelente máquina Baleias de Miguel Delgado.
Eu, Ésio e Paulo Gustavo ficamos para o último taxi.
Todos os brasileiros antes da largada. Já em companhia de Fernanda e Ricardo, maratonistas paulistas de grande alegria que conhecemos somente na largada mas com a sensação de que fomos amigos em outra vida.
Os atletas brasileiros mais rápidos, Tinil, Júlio e os Ricardos, com os amigos venezuelanos Ernesto Linzallata e outro maratonista.
Wu chega pronto para receber a medalha numa prova perfeita, cumprida de pé embaixo e morro acima, sem problemas, sem detalhes, sem observações. Nosso herói voltou para fechar o ano em grande estilo. Ganhou até de Almir da Acorja que depois revelou que na próxima dará o troco.
Miguel Delgado, feliz da vida, numa prova em que teve total domínio do percurso e do esforço, quando venceu a bela Cota Mil (estrada ao pé da montanha - Parque Nacional El Ávila), abrindo as portas para as ultramaratonas que chegam a partir de 2011, visando a meta específica da Comrades 2012.

Aprendendo a correr com amigos como fez  Ênio Akio/SP com Cláudio Dundes em Curitiba  2010, me propus a correr em companhia de Marinês Melo que sofria antecipadamente com informações equivocadas do clima e com as novas informações corretas do excesso de subida.

Na chegada, Marinês também demonstrando amizade e companheirismo abriu mão do sprint final e da vitória, como assim exigia Jacqueline Rego, amiga Baleias da Acorja que morre de medo de perder do gordo, para chegar empunhado juntos a bandeira do Brasil.

Em duas maratonas consecutivas, Suriname e Venezuela, realizo meu sonho de chegar junto com amigos, dividindo a emoção do término da prova e carregando minha bandeira, que rodou por toda a América do Sul nesse ano de 2010.
A Maratona de Caracas, no encerramento do Desafio Sul-Americano proposto por mim e por Wu no inicio do ano como uma meta para lá de ousada, transformou-se na melhor prova que corri em minha vida pelo simbolo que acabou por carregar, o de que os sonhos são possíveis e que imaginar um futuro cheio de felicidade é ousar. 

Ao fim e ao cabo de um ano de decisões, viagens, planejamento e muita, mas muita mesmo, felicidade pelos asfaltos da América do Sul,  ver o sonho realizado, nos faz sentir poderosos e capazes de alterar o rumo da história de nossas vidas. Nada deu errado, muito ao contrário, as alegrias somente se superaram.

É por isso que, nesse diapasão, a Maratona de Caracas, pela coincidência do momento em que ocupou, entra para a história de minha vida como minha melhor maratona até hoje. Parece loucura, mas é assim que sinto. A Maratona de Navidad estará para sempre no meu tocado coração Baleias porque resumiu meu fantástico ano de 2010 que se iniciou encerrando e terminou começando. Tenho até medo dos planos para 2011 que serão construídos na minha mente compulsiva nesse mês de janeiro!

O Desafio Sul-Americano será objeto de um texto especial onde poderei destilar e desfilar  toda minha emoção. Valeu Wu, companheirão, amigo. Se eu não fosse reservado e parcimonioso em minhas demonstrações de afeto e também não tivesse certeza de que você iria ficar p... se eu colocasse isso aqui, diria que te amo. Obrigado por topar essas maratonas pela América do Sul. E vamos em busca da América Central!
Novamente com Nelson González, da revista Maratón, que foi muito gentil com todos nós e ficou impressionado com a saga de Miguel e Wu.
E com o Tião Moreira deles. Não é o Pinguim porque não corre junto!
Marinês Melo no pódio.
Nossotros brasilenõs que estávamos muito felizes com a vitória da amiga corredora.
Alegre, hermosa e rica!!
E a farra depois de tanta alegria. O início da festa foi no apto 302. O ano de 2010 em maratonas estava encerrado em grande estilo. A partir dali eu estava completamente  maluco, descompensado, feliz como nunca!!!
Mas como a vida Baleias é sempre mais, é um jeito de ser onde se experimenta, em termos de alegria e felicidade, recorde em cima de recorde, o futuro logo ali reservava mais alegria.
Fernanda e Ricardo declararam amor à Equipe Baleias e foram recebidos pelos Baleias presentes na mais festiva cerimônia de iniciação que já tivemos. Fernanda disse que fará seu primeiro Ironman sob o Manto Coral. 

Àquela hora, eu, que já estava completamente maluco, encontrei nirvana, entrei em alpha, encontrei o Horizonte que se perdera, entrei em Shangri-lá, passando em minha mente todos os locais de sonhos e êxtase possíveis. Se eu tivesse na companhia de Lucy, no céu, com seus diamantes, mesmo assim não estaria mais sensibilizado. Essa Equipe Baleias proporciona momentos incríveis!
E a festa continuava com Júlio Cordeiro demonstrando como se mata a aranha! Na TV meu time, o Deportivo Petare, perdia para o Deportivo Tachira, para a alegria do garçon que nos atendia. Nada é peerfeito.
Uma mesa das mais incriveis que já participei. Almir, superando problemas de saúde dos pés à cabeça era o retrato da alegria e superação. Perdeu de Wu, eu sei, isso doi, mas venceu a prova na raça.
Marinês Melo, pódio, lotada de Bolívares Fuertes na bolsa.
O novo casal Baleias, Fernanda e Ricardo. Sei que o momento era mágico e contagiante e que "in vino veritas", mas sou prudente e sei que a vida é dinâmica, por isso, mesmo que o alegre casal reconsidere o amor lá manifestado, permanecerão para sempre no coração Baleias!
Eu e meu Wu, amizade iniciada nos bancos da UFMG e transportada para as pistas de corrida do mundo. Meu mestre no inglório magistério de evitar que eu faça muita merda!
Tinil, nosso Baleia mais queniano, chefe supremo da Ala Manguaça da Equipe. Amigo forte, nervosinho às vezes, mas com grande coração. Esteve em quase todas as provas Sul-Americanas conosco, somente não esteve presente nas que coincidiram com o Desafio das 6 Maratonas Brasileiras 2010, do qual sagrou-se como o mais rápido.
Paulo Gustavo, o rei da farra. A capacidade desse jovem é incrível. 24 horas no ar, não interessando se é maratona ou cerveja. Com esse corredor não tem meia que resista, é de maratona que ele gosta. Perdeu de novo para mim, eu sei, isso doi. Estamos com 3x1. Miguel: Punta del Este, Bogotá e Caracas. Paulo: Foz do Iguaçu. Alega o mancebo que não foi a Bogotá e que tal prova não poderia estar na lista. Pedido indeferido. Ele constava na lista de inscritos da prova, então não foi porque não quis!
O cara! Não há nada que se possa falar mais de Júlio Cordeiro. Quem ainda não o conhece, providencie logo, porque está perdendo grandes momentos da vida!
Ricardo Ramos ou Ricardo Galinho, amigo Baleias de amor à primeira vista. Figura das mais extraordinárias que proporciona empatia imediata e consome maratonas com avidez. Segura forte esse, Lula, porque se cair na área é penalti e pegamos ele para nós!
Paulo Sobral, prova vencida  contra todos os prognósticos. Chegou em Caracas sem saber se faria a prova. Impulsionado pelo clima passou a não ter certeza se completaria. E foi lá e fez. O sorriso é justo e merecido. Paulo é possuidor de grandes dicas para os corredores sobre alimentação, sensação de esforço e outras mais. Grande cara, muito boa companhia.
 
 Ésio Cursino, o Maratonista Camarada, embora mais sistemático do que o mais sistemático dos Baleias e tenha algumas críticas sobre nossa postura em público é amigo forte Baleias. Ésio decretou em Caracas o fim das maratonas acima de 5 horas. Decidido o cabra, como se diz na terra dele!

No dia seguinte, último em Caracas, Marinês recebeu seu prêmio sendo o cheque honrado sem embaraços que não uma cola. Depois partimos para um passeio por Caracas, o que ainda não fora possível.
A Assembléia Nacional.
O simpático e concorrido Café Venezuela!
Em busca do Libertador e o momunento às nações Bolivarianas.
Museu Bolivariano, Baleias em busca da cultura dos locais visitados.
Miguel e Wu na casa onde nasceu Simon Bolivar. Um marco no nosso Desafio Sul-Americano.
E o treino em Paris onde a ideia do Desafio Sul-Americano tomava força.
Monumento a Simon Bolivar à margens do rio Sena. Aliás, nada mais Baleias do que a frase: "às margens do rio Sena". Baleias estarão sempre "a rive gauche".
A lápide da sepultura do Libertador na Colômbia. Depois os restos mortais foram trazidos para Caracas. Simon Bolívar morreu com 47 anos, exatamente a idade que estou agora. Gelei.
E o Libertador era um pouco Baleias também. Manuelita experimentou do exagero Baleias de Simon Bolívar. Wu guardou a frase para dizer a Zilda!
O palácio do governo onde não pudemos ir, nem passar na frente, onde também não nos foi autorizado fotografar. Não gostei. Não é um bom sinal. A foto foi feita como Simon Bolívar me autorizaria, na raça.
Biblioteca de Caracas, um belo prédio.
E o último almoço em Caracas. Pela segunda vez na vida e também pelas mãos de Júlio Cordeiro, me delicio com uma lagosta. Eta Baleia chique!

Nesse almoço assumimos o pacto de correr a Marabana, maratona de Havana em 20 de novembro de 2011. Datas natalícias serão trocadas para viabilizar a presença de todos.
Wu e Tinil pedem um salmão e recebem parrilha. Esses Baleias sabem ser felizes com o que vem!
Sinto que a placa do meu carro na Venezuela seria assim!
E o encerramento dos registros fotográficos. A despedida Baleias dos colegas pernambucanos.

Mais uma Máxima Baleias comprovada: na presença dos amigos o paraíso é portátil.

Como já disse acima a Maratona de Caracas fica para sempre em meu coração como um símbolo da vontade, o alinhavo de um sonho. Em 2010 nós arrebentamos. Fomos felizes demais e a Equipe Baleias cresceu em substância e amizade. Mas tudo isso será matéria de outros textos nesse espaço cibernético onde a amizade é celebrada em prosa e verso às escancáras!

No futuro próximo conhecer o Brasil ainda desconhecido e subir em direção à América Central. E eu aqui na praça dando milho aos pombos e torcendo para que seja realizada uma maratona em Manaus porque pelo andar da carruagem estou com a sensação de que jamais irei lá noutra circunstância.

Ah! Continuo devendo um monte de respostas e textos. Tô ligado e vou providenciar, me aguardem.

Grande abraço a todos.

Miguel Delgado já com saudades de 2010!

24 comentários:

Dona D disse...

Oi Miguel!!!

A participação BALEIAS em uma maratona é uma festa a parte, né! Só fico imaginado o dia que eu tiver o privilégio de participar de alguma com vcs! Tudo de bom!

Parabéns a todos que participaram!

Ah, quero uma foto de vcs com as medalhas para o meu mosaico de final de ano. Pode ser?

Beijos a todos!

jacqueline disse...

Eita relato arretado... esse fez inveja! AMEI o trecho: "completamente maluco, encontrei nirvana, entrei em alpha, encontrei o Horizonte que se perdera, entrei em Shangri-lá, passando em minha mente todos os locais de sonhos e êxtase possíveis".É "somente" isso que desejo para mim mesma e para todos os meus amigos em 2011, 2012, ...
Miguel você é sensacional e sempre acha as palavras certas.
PS.Correr junto é maravilhoso, eu concordo plenamente! Mas, você tira onda né..."perdeu, e isso dói"... rsrsrs. Vou intensificar meus treinos pra não ouvir isso em 2011! rsrsrs Jacque

Eng. João R. Oneda disse...

Olá Miguel, sempre leio o Blog Baleias, e cada vez os posts tem mais qualidade.
Parabéns por completarem o Desafio Sulamericano.
Sou ainda um corredor de 5 e 10l, mas em breve estarei em provas longas ao lado de voces pelo mundo afora. Grande Abraço!!!

Fábio Namiuti disse...

A bolivariana não foi só a sua melhor maratona, Miguel. Mas também o melhor relato já transcrito (e "transfotografado") aqui. Respinga alegria para todo lado. Parabéns por ela e pela conclusão do desafio sul-americano. Acompanhei aqui cada etapa dele e, de certa forma, o vivenciei também, porque poucos sabem expressar tão bem o que cada dia de correr significa. Sucesso em seus planos para 2011!

Grande abraço.

Fábio Namiuti

elis disse...

oi, miguel!
olá, minha querida, gloriosa e festeira equipe Baleias!!!!

é uma delícia sabor Baleias ler seus relatos!
que farra, que festa maravilhosa vocês fizeram lá!
tenho certeza de que você vai deixar todo mundo que ler esse relato com uma coceirinha no juízo, uma inquietação de ser Baleias rsssss

já anotei em meu blog, logo abaixo da foto oficial de nossa querida família Baleias, a frase que resume para mim esse espírito maravilhoso que une corrida e amigos: "na presença dos amigos, o paraíso é portátil"!

um parabéns muito especial a marinês melo, que tão bem representou o universo feminino com esse pódio!
um abraço no casal iron Baleias: Fernanda e Ricardo, que alegria tê-los em nossa equipe!

essa parceria Baleias-Acorja já entrou para a história das maratonas!

enquanto lia seu relato e via as fotos, me senti lá com vocês!

um abraço!
muita saudade de todos!!!!!

http://elismc.blogspot.com

Ricardo Hoffmann disse...

À semelhança daquele que rodou a América em sua 'la preciosa', vocês fizeram um revival do Diário da Motocilceta, mas mais chique, correndo maratonas. Quero o meu exemplar autografado. Parabéns pelo fechar com chave de ouro essa aventura.

Mari disse...

Oi Miguel, nossa obrigada pelo grande destaque no seu blog tão famoso, tão gostoso de ler, foi bom demais a companhia de vocês me senti única, protegida, privilegiada, só não me deixaram entrar nas lojas.....hehehehe.....tu tens razão uma viagem que vai ficar marcada para sempre em nossas foi show!!!!

xeiros!!!

Elis, obrigada pelos parabéns especial, tu és muito gentil e simpática, bjus prô cê também.

Alex Dahlke disse...

Parabéns! Baleias mundo afora... vocês são demais. Que venha 2011, não e mesmo?! Curtam as festas de fim de ano ao máximo, pois vocês merecem.
Abraços!
Alex

Blog de Adriana Carla disse...

Olá MIguel, não lhe conheço, mas adorei os comentários que você fez de minha Amiga Mari. Também corro, mas ainda não cheguei no nível dela...rsrsrsrs
Mari, parabéns!!!!!! Continue assim com todo o pique e alegria intensos. Viva a ENERGIA!!!!
Bjus, Dri

curso disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...te amo Miguel,eu e o Galinho que não pára de falar em você,em Caracas...relembrando o que perdi.Que farra!Que relato...como sempre,estou feliz porque mesmo ausente não fui esquecida.Beijos,Ju Job.

claudio e alex dundes disse...

Baleias é festa! E Miguel é a voz da emoção, sem sensura, dela!!!!!!!!!!!

Da primeira vez que caí aqui neste blog já me identifiquei de pronto, porque vi nele transcedendo a relação Miguel/Wu tal e qual a relação Claudio/Alex.

Muito gostoso de ler escrito para o Mundo seu amor declarado a pessoal sensacional, que é Wu Arantes, seu parceiro de uma vida.

Tiago Antunes disse...

Gran Baleias! Vocês como sempre muito bem na foto! Nem vou perguntar como estava porque pelas carinhas já da pra ver que foi altoastral essa indiada! Grande Abraço

Tiago Antunes

Sergio disse...

este blog é passagem obrigatória!! Fantástico o relato! quando leio o que você e a Elis escrevem sempre penso que a felicidade está nos olhos de quem vê: "tudo vale à pena se a alma não é pequena".
grande abraço,
Sergio
corredorfeliz.blogspot.com

GILMAR FARIAS disse...

Miguel,
Do jeito que a coisa anda teremos um congresso internacional BALEIAS/ACORJA em 2011. Devemos nos preparar emocionalmente para isso, vai ser difícil manter o controle.
Parabéns por realizar o seu sonho, de fazer de uma maratona onde não se esperava muito virar uma verdedeira festa de padroeira.
Grande abraço e Feliz 2011!
Gilmar

TINIL MANGUAÇA disse...

Irmãos,

Não há mais o que dizer.MUITA EMOÇÃO!

ALEGRIA. ALEGRIA. ALEGRIA!!!

FELIZ NATAL E UM 2011 CHEIO DE REALIZAÇÕES E MUITAS EMOÇÕES.

Ricardo Hoffmann, você é o cara!Muita PAZ e ALEGRIA neste imenso coração.

Julio Cordeiro disse...

Miguel e Wu,
Simplesmente sensacional nosso convívio em Caracas.
Apesar dos atropelos passaportais, a nossa festa foi inesquecível...
Abraços Pernambucanos
E a minha camisa nova????

Anônimo disse...

Precisamos programar o lançamento do livro. Não podemos passar de 2011, pois CONRADES merece um especial. Beijos. Lana.

irmascordeiro disse...

já tinha me divertido lendo o relato de Julio, agora aqui. Que festa bonita! Mariana

Mônica Mirtes Cordeiro disse...

Miguel,

mais um relato incrível!! Show de bola!!

E a farra? Que foi isso??

Parabéns pelo desafio das maratonas da América do Sul.

Um abraço.

Mari disse...

Valeu Miguel por mais uma publicação(matéria da revista), ui, tô me sentindo musa do blog......hehehehehehe......
obrigada viu?

xeiros.........

Enio Akio Yuhara disse...

Salve, salve BALEIAS!!!
Nossa!!! Ao terminar de ler este relato, uma música me veio à cabeça. Tão mineira quanto a equipe, e, tão internacional quanto o Desafio Sul-Americano.
Acompanhar todas as etapas do Desafio (que foi finalizada com muito brilho pelos nossos amigos) tenho a certeza que a amizade BALEIAS se fez ouvir por toda América.
Assim como na música:

Canção Da América
Milton Nascimento
Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de sete chaves,
Dentro do coração,
assim falava a canção que na América ouvi,
mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir,
mas quem ficou, no pensamento voou,
com seu canto que o outro lembrou
E quem voou no pensamento ficou,
com a lembrança que o outro cantou.
Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito,
mesmo que o tempo e a distância, digam não,
mesmo esquecendo a canção.
O que importa é ouvir a voz que vem do coração.
Pois, seja o que vier,
venha o que vier
Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar
Qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar

É isso aí meus amigos!! Mais um ano está acabando (foi um prazer enorme fazer parte desta equipe tão fantástica).
Novos desafios nos esperam no ano que vem e, com certeza, na companhia dos amigos será motivo de festa.
Desejo a todos que 2011 seja repleto de realizações.
Boas Festas!!!
Enio – BALEIAS/SP

Carlos Henrique disse...

Tão emocionante e animador quanto ler os belos relatos de meu GRANDE amigo Miguel é ler as mensagens desta bela turma que freqüenta e comenta o blog dos Baleias.
Este último do Enio, lembrando nosso "Bituca" (Milton Nascimento) retrata bem o que tem sido o convívio BALEIAS. Contagiante de alegria e entusiasmo!!!
Entusiasmo este, que me impulsionou a querer deixar de ser Baleia piaba e me atrever a seguir os passos dos Baleias graúdos... ACABO DE ME INSCREVER PARA MINHA PRIMEIRA MARATONA. SANTIAGO 2011!!!
Grande abraço a todos e feliz 2011, com muitos km's de alegria e suor!!!

Superpinguim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Superpinguim disse...

Olá Miguel!

Quero parabenizar você e toda a Equipe Baleias, pela missão cumprida.

Sei que não foi nada fácil, mas também sei que foram momentos de muito prazer.

Dizem que "A Felicidade não existe, o que existe são Momentos Felizes" e com certeza vocês da Equipe Baleias sabem como ninguém criar vários "Momentos Felizes".

Devido ao grande sucesso da
"Missão das Maratonas da América do Sul I" (Maratona nas capitais federais sul-americanas),
proponho a
"Missão Maratonas da América do Sul II" (Maratonas nas cidades sul-americanas que não são capitais federais)
Exemplo: Mendoza, Rosário, Medellin, Patagônia, etc.

Poderiam ser feitas juntamente com o Desafio da América Central devido ao pequeno número de países que organizam maratonas nessa região.

Eu pelo menos tenho a intenção de participar de algumas delas em 2011.

Aproveito para desejar um Feliz Natal e um 2011 cheio de Maratonas "Inéditas" na América Latina!

Um abraço do tamanho da América para todos vocês da Equipe Baleias!!!