,,,

BALEIAS EM SUCESSO TOTAL

RICARDO PASSOS (FLORIPA) E MAURINHO (PORTO ALEGRE) NO PÓDIO NA CORRIDA DE REVEZAMENTO NASCENTES DO RIO PIRAÍ EM SANTA CATARINA!

O MUNDO BALEIAS EM JÚBILO!!!!

Ricardo Passos e Maurinho, pódio Corrida de Revezamento Nascentes do Rio Piraí, em Santa Catarina

Ricardo Passos e Maurinho, pódio Corrida de Revezamento Nascentes do Rio Piraí, em Santa Catarina
Ricardo Passos, de Floripa, e Maurinho, de Porto Alegre, não tenho nem palavras para comentar essa cena. Que coisa mais linda esse sucesso no mundo Baleias. Parabéns aos brilhantes corredores que elevam o Manto Coral à condição de Estrela!

MAIS PÁGINAS BALEIAS!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

MARATONA DE SANTIAGO - Muita emoção no início de nosso Desafio Sul-Americano!

A Maratona de Santiago foi uma prova emocionante. A cidade respira solidariedade e união. A expressão Fuerza Chile, bem como as bandeiras chilenas, estão por toda parte. 

No trajeto do aeroporto ao centro o motorista foi nos mostrando os escombros do terremoto amontoados. É quase o único sinal em Santiago. Na cidade a gente vê  detalhes de alguns estragos mas os grandes problemas não foram mesmo na Capital.

É fácil notar que somos muito bem vindos por estar aqui nesse momento de reconstrução e união. Acho que é como uma visita que chega num momento significativo e que traz conforto apenas pelo fato de ter vindo. Foi o que senti. O povo chileno é muito simpático.

Viemos 4 Baleias a Santiago. Miguel Delgado e Wu Arantes, de Belo Horizonte, Dawlton, nosso  Baleia Muito Estranho, de Fortaleza e Tinil Carrijo de Goiânia,  nosso Baleia mais veloz que estreiou  com o Manto Coral em Santiago em grande performance embora não tivesse nem percebido a qualidade do tempo com que chegou à "Meta". 

Eu, Miguel Delgado, diminui em 6 minutos o meu tempo de Roma. Fiz 4hs e 20min. Os mais apressados podem achar que tudo foi um sucesso então. Mas não.

Wu reassumiu a hegemonia na dupla. Se eu melhorei meu tempo de Roma, ele melhorou o dele e também o meu e chegou 11 minutos antes de mim, marcando 4hs e 09min.

Tinil, sem perceber, porque ficou admirando o visual do percurso e interagindo com o público chileno, fez 3h 09min.

Dawlton Moura, nbme, foi o segundo Baleia a cruzar a meta com 4hs e 00min e já entrou na alça de mira de Wu Arantes. Miguel Delgado, com capacidade de liberar os tanques de lastro, como o submarino Seaview, corre por fora e buscará os dois. 

Por ter sido o último Baleia, novamente os apressados podem entender que estou abatido. Não. Eu, que na 5ª série li Pollyanna e deixei gravado na alma os princípios da densa obra, lanço mão sempre que necessário.  Fiz meu 3º melhor tempo em maratonas(15).

Sobre a vitória de Wu o assunto está encerrado, Lima nos aguarda. Passo logo para algo tão ou mais sensacional.

Eu ganhei de Carlos Hideaki Fujinaga, o líder Marathon Maniac brasileiro e também  de Marinês Melo e de Paulo Picanha, dois dos três Acorjianos a quem Júlio Cordeiro recomendou não perder para os Baleias.  Somente Jaqueline Barbosa se desincumbiu bem de seu mister e derrotou Miguel Delgado e Wu, como recomendado.

Se fui o último dos 4 Baleias presentes em Santiago tal dado é irrelevante diante das conquistas em solo chileno numa aventura que se iniciou na sexta-feira pela manhã e que tem como marco inicial simbólico a travessia da Cordilheira dos Andes .
O momento tratado com solenidade no voo quando se pede para atar os cintos para que a exuberante montanha seja superada causa aos viajantes de maior peso um certo apavoramento pela lembrança de filme ambientado no local onde a imagem de que um gordo serve mais pessoas amedronta.

Ultrapassada com sucesso a montanha chegamos à Feira da Maratona para buscar o kit do corredor, momento sagrado que antecede a prova. No local a primeira surpresa.
A responsável pela entrega do kit não sente firmeza na letra do Wu no momento de assinar o termo de isenção de responsabilidade e solicita que o corredor molhe o dedo na tinta e chancele a declaração com a digital.

Depois Wu toma bomba no teste de alongamento. A moça se surpreende: "maratona???" Eu já havia tomado bomba minutos antes. Somente Tinil passou, e com louvor. Corredor sarado!
A visão de Wu no teste de alongamento e o decreto das atendentes de estar o mesmo  em pior condição do que eu me autorizou, ingenuamente naquele momento, a pensar que os Deuses conspiravam a meu favor e que Roma teria sido somente o início de minhas vitórias. Ele está em declínio, pensei. Ledo engano,  vim a saber no domingo, aprendendo que Wu em dialeto Baleias significa Fênix.
Na Feira da Maratona o almoço e jantar de massas se confundiam. A todo momento poderia ser degustada uma saborosa macarronada. Para a economia de pesos era maravilhoso.

Naquele momento ainda não havia sido feita uma foto oficial da Equipe Baleias em Santiago porque Dalwton, nosso Baleia de Fortaleza ainda não havia chegado, muito embora instado a comparecer. O nosso Baleia cearense preferido tem essa característica. Nunca está para a foto oficial.

A foto abaixo registra o momento em que conhecemos Romarinho, corredor brasileiro que viria a ficar em 2º  lugar na Meia Maratona. Mais uma vez o olhar Baleias de prospecção e detecção de campeões funcionou. 
E a seguir será possível observar o momento mais esperado do final de semana depois da própria Maratona de Santiago: o encontro com os organizadores da Maratona de Assunção em 08 de agosto de 2010 onde pretendemos fazer uma grande festa. Eu explico.

Eu fui o primeiro brasileiro a inscrever na Maratona de Assunção e com isso recebi um telefonema da organização com a informação de que receberia uma camisa da prova com os dizeres: "CON POWERADE ENTRENO PARA LA MARATON DEL BICENTENARIO DE ASUNCION". Para quem não sabe Powerade é o gatorade do Paraguay. Ainda foi perguntado se eu estaria em Santiago ou Porto Alegre e corredor chique que sou informei que estaria em Santiago.

Fiquei de encontrar na Feira da Maratona com Myrta Doldan, Presidente do PMC - Paraguay Maraton Club.
A foto registra o momento que Myrta Doldan recebe uma camisa Baleias das mãos de parte da Equipe como uma forma singela de retribuir a extrema gentileza com os corredores brasileiros. Tinil emocionado com a atenção de Myrta confirma também sua presença em Assunção.

Logo em seguida conhecemos Marcelo e Renato, outros membros do PMC e também organizadores da prova. Myrta Doldan numa gentileza impar amplia o presente da camisa de treinamento da Maratona do Bicentenário para os outros Baleias presentes.
 
No momento a seguir Dawlton chega e também encontramos  nosso amigo pernambucano Ésio Maratonista Camarada Cursino. Ésio, amigo Baleias de longa data, confirma sua participação na Maratona de Assunção e também ganha a camisa de treinamento que é imediatamente envergada.
E essa é nossa foto oficial na Maratona de Santiago, equipe completa com Myrta Doldan, nossa nova  grande amiga e também Ésio Cursino, nosso amigo pernambucano. Engraçado observar que depois desse momento nunca mais conseguimos ficar os 4 Baleias diante de alguma lente fotográfica.
O registro final na saída da Expo Maraton. A partir dali passear por Santiago e pelo Chile era a determinação até domingo cedo.
Na manhã de sábado encontramos com nossas amigas da Acorja do Recife no farto café da manhã onde literalmente fartava tudo. Paulo Picanha ainda não havia aparecido.
Encerrado o café fomos para Valparaíso em busca do Pacífico nunca dantes visto.
Chegando na cidade litorânea constatamos a força do pré-sal em foto que homenageia um grande colaborador Baleias no Rio de Janeiro, Marcelo Vertis, que já proporcionou grandes momentos na cidade maravilhosa e há poucos dias prometeu colaborar com o blog Baleias de forma positiva. Essa homenagem é também um estimulo a esse novo posicionamento informado.

Antes de partimos em busca do Pacífico optamos por um pouco de cultura, tema recorrente no universo Baleias. Fomos à casa de Pablo Neruda.
Miguel Delgado cumprimenta o poeta Neruda na Praça dos Poetas e solicita su permiso imaginando se também poderá no futuro proclamar "Vivi demais, uai!".

Wu Arantes em momento de sensibilidade troca impressões com Vicente Huidobro, outro poeta chileno que com Gabriela Mistral paira na simpática plaza.
Chegamos em "La Sebastiana", uma das três casas do poeta.
Os Baleias, em traje de passeio, tendo o primeiro contato com a história de Pablo Neruda. A casa tem uma aura de emoção incrível. O passeio é absolutamente gratificante. Ouvimos em Português todos os detalhes da casa que o poeta terminou de construir no seu gosto.
Wu e Tinil e a famosa casa ao fundo. Algumas passagens ditas por Neruda pareciam estar encomendadas, principalmente quando fala em coleções, como fazê-las e desenvolvê-las, além do registro de como é importante brincar, mesmo sendo adulto.
Não é permitido tirar fotos dentro da casa, assim, mais uma vez, registramos nossa emoção na área externa com uma foto que mostra ao fundo o Porto de Valparaíso, vista apreciada pelo poeta.

Depois da foto na Praça Luiz de Camões em Lisboa nosso culto amigo Ivo Cantor retorna às lembranças. Essa prova se encaixa em seu perfil. Venha e visite as três casas do poeta: "La Chascona", "Isla Negra" e "La Sebastiana". Eu ainda visitarei as outras duas "en mi vida".

Felizes e leves por incluir um pouco de cultura em nossos passeios esportivos seguimos para a "Conquista do Pacífico".  
Em Viña del Mar anotamos mais um detalhe em nossa vida de viajantes. O oceano Pacífico. Tinil, viajante experiente, já teve contatos mais estreitos até com outros mares.
A prova. Ao molhar a mão os pés também sentiram a "Fuerza del Pacifico". Wu também atolou o pé na água. Tudo tranquilo, o tênis da maratona estava no hotel.

Voltamos para Santiago. No ônibus Wu, sempre demonstrando seu elevado índice de serumanidade, vive um momento lúdico com a pequena Emília e sua pata "Florência".
Fomos ao repouso depois de consumir yogurtes por não ter encontrado mamão. E acordamos prontos para a prova. No registro abaixo Tinil ostenta pela primeira vez o Manto Coral.
 
De Baleias correríamos a prova.
De Chile estaríamos na largada substituindo o Manto Coral pelo Manto da Solidariedade, conforme foi pedido pelos organizadores, para que uma grande bandeira chilena fosse formada no início da prova.
Com os amigos da Acorja. Na foto Paulo Picanha e seus joelhos biônicos. O rapaz é primo de Steve Austin.

A largada foi uma verdadeira festa. Por coincidência chegamos, e ficamos, ainda antes de estar aberto o acesso logo em frente à entrada dos 42 Km. Com isso vários amigos que a gente encontra pelas maratonas foram vistos. Muitos corredores de Belo Horizonte, muitos da Equipe do Minas Tênis Clube/Unimed e encontramos também nossos simpáticos amigos paulistas da Equipe Foca num momento que foi registrado por lentes fotográficas da equipe amiga. Trarei a foto para o blog. A simpática corredora Foca me autorizou a buscar no blog deles quando for publicada.

Encontramos também um corredor do Mato Grosso do Sul que informou sempre visitar o blog e que por informação Baleias pretende correr a Maratona de Assunção. Claro que fiquei muito feliz!! Caro amigo, se tiver tido paciência para ler até aqui, faça contato para que continuemos a conversar sobre as maratonas.

Ainda na esquina de acesso aos 42 km tivemos a grata satisfação de encontrar com Rodolfo Lucena do blog +Corrida e autor do excelente livro de mesmo nome que gentilmente atendeu nosso pedido para uma foto em máquina cearense pilotada por Marinês Melo da Acorja de Recife.
Essa maratona foi especial também porque conheci Denise Amaral e Luiz Antônio. Quem corre maratonas e ainda não conheceu Denise Amaral ainda não atingiu ponto significativo na carreira. Em Santiago eu me tornei, além de maratonista, amigo de Denise Amaral e seu marido Luiz Antônio.

Há tempos que gostaria de conhecê-la e estou muito feliz que esse momento tenha chegado. Eu já ficaria muito satisfeito só de conhecê-la, porque é uma estrela desse nosso mundo de viagens e maratonas, mas ela é incrivelmente simpática, bem como o seu marido, e sei, pela recepção e alegria que tivemos em nos conhecer que já era amigo do casal desde as páginas da Contra-Relógio. Em Santiago operou-se uma amizade com efeito retroativo.

A foto com Denise Amaral e Luiz Antônio não chegou em tempo mas merecerá posição de destaque no Blog Baleias.

Passando rápido rumo à área de largada vejo Nishi e interrompo sua trajetória para, em segundos, me apresentar, dar um abraço e cumprimentá-lo pela disposição em dividir a organização do Desafio das 6 Maratonas com Hideaki, Cristian, Rodrigo e Rodney, dizendo que a Equipe Baleias apoia os organizadores do novo Desafio das 6 Maratonas e que as polêmicas colocadas são detalhes comuns a tais empreitadas e não devem fazê-los desistir. 

Mas na largada também tivemos um momento forte de triste emoção que foi tomar ciência do falecimento do pai do Ésio Maratonista Camarada Cursino ocorrido na noite de sexta-feira. Abracei o amigo ciente da dor que nos acompanha nesse momento.

Colocamo-nos na largada com as camisas azuis e fizemos coro na exaltação à força de reconstrução chilena! 

Antes do tiro de largada que arrepia, uma outra emoção. Carlos Hideaki Fujinaga toca minhas costas. Resolvida a saudade do Japa que desde Curitiba não mais via, somente lia as broncas que acionam os bombeiros de plantão. Aproveitei para repetir o que havia dito a Nishi momentos antes.

Logo o amigo avisou que pretendia fazer em 5 horas, afirmação que fez meu sangue ferver. Seria aquele o dia??

Dada a largada retirei a camisa azul e a prova se seguiu alegre e emocionante. Wu logo foi embora. Tinil e Dawlton nem vi mais. Segui com Hideaki.

No percurso encontrei Juan Gonzalo Rubilar, engenheiro chileno que cumpria ali sua segunda maratona. Simpático como todos os chilenos corremos alguns quilometros juntos numa alegre conversa.

Na chegada, na área de dispersão, novamente nos encontramos e o novo amigo me disse que o terremoto ocorrera principalmente no local de morada de sua familia e, emocionado, completou: "essa minha prova foi para eles".
Com um nó na garganta e à flor da pele como Zeca Baleiro após 42 km abracei o amigo e desejei muito boa sorte. No contato que se seguiu por email convidei-o a correr a Maratona do Rio de Janeiro.

Cruzada a linha de chegada com dor no pescoço causada pela tensão e pavor de pensar em ser ultrapassado pelo Hideaki nos últimos kms encontro os amigos e a alegria é a tônica com gosto de gatorade produzido com rótulo personalizado da maratona.

Encontrei também Eduardo do Desafio das 6 Maratonas 2009. Confirmou o amigo o interesse em correr uma prova na Bolívia. Precisamos de ajuda para achar pelo menos uma Meia Maratona em La Paz.

Recebida a medalha sem devolver o chip, uma novidade muito apreciada e mais uma lembrancinha para a caixa (na verdade uma lata retangular) de maratonas.
Banho tomado, a festa gastronômica se inicia.
 
No Mercado Municipal de Santiago, na Donde Augusto, servidos pelo simpático Pedro que definiu o que iamos comer e ainda tirou a foto, as acorjianas Marinês Melo e Jaqueline Barbosa, o MM Hideaki e o Baleia Miguel Delgado degustaram a Centolla cujo gosto perdurará até o dia 13 do próximo mês.
Em Carnes de Morande Dawlton saboreava o que encontrou de mais parecido com a leve comida do Ceará.

E em algum lugar nos subterrâneos de Santiago.....a nova dupla Baleias que se formou:
Depois da prova foi assim direto. É incrível a identificação ocorrida.
O retorno até São Paulo onde "Los Três Amigos" encerrariam a trinca e Wu voltaria ao normal.

Como a vida é feita de momentos alegres e também da repetição dos mesmos momentos alegres encontramos todo mundo em Cumbica.
Na foto Ana Cristina de agasalho Adidas, corredora da Equipe Corpore Sano de Recife e estreiante nos 10 km, resoluta em progredir. Jaqueline Barbosa, acorjiana, Lia Campos, maratonisa de Fortaleza que enfrentou os 21 de Santiago, correspondente do Blog Tempo de Correr,  que está considerando firmemente correr Foz do Iguaçu em setembro, inscrita que já está para o Rio de Janeiro. De vermelho, também estreiante dos 10 km, Giovana, corredora Cearense que nos deu a nítida impressão de que queria ir mesmo era para Recife.

E com isso encerramos nosso feliz périplo por Santiago do Chile, com mais amigos, com mais promessas  cearenses e pernambucanas de kms, com mais promessas de maratonas, com mais promessas de disputas, com mais uma derrota para Wu, mas com mais três vitórias (CHJ, MM, PP), vendo o Tinil estragar cada peça de vestuário que gosta, vendo e aprendendo como o povo da América do Sul é simpático, aguentando o Wu com o novo coleguinha, e também vendo que muito embora o medo que rondou algumas pessoas, no Chile, na Maratona, ninguém se machucou.

Na volta, na revista da TAM, vi a notícia de uma passagem da Star Alliance que dá a volta ao mundo. Embirutei!! Mas depois toco nesse assunto.

Abraço a todos os amigos e amigas Baleias e todos os amigos e amigas da Equipe Baleias.

Aproveito para agradecer em meu nome, do Wu, do Tinil e do Dawlton a todo o povo chileno que nos proporcionou um final de semana maravilhoso. Fuerza Chile, cuentes con nosostros!

15 comentários:

claudio dundes disse...

Excelente, Baleias!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Muito empolgante. Muito divertido. Muitos amigos. Muito de tudo. Viver intensamente é que estão fazendo. E muito bem! Um grande abraço do Claudio Dundes a todos que estiveram com vocês nessa maratona.

Ricardo Hoffmann disse...

Parabéns por mais essa aventura. A derrota para Wu foi eclipsada pelas demais vitórias. Tenha certeza que foi a inspiração do amigo Tinil que fez a Fênix voar baixo hahaha. Quando e onde será a próxima? Grande abraço.

Anônimo disse...

Salve, Miguel! Mais um texto magistral, como sempre.
Brincadeira, uai!

Nem tremor, nem temor, nem nada justificam perder um fim de semana como esse.

!Que siga el desafio sudamericano!

Abs

Dalwton

Carlos Henrique disse...

Ainda não tive tempo de ler todo o texto, o que farei hoje a noite, mas não resisti a tentação de já deixar um registro do quanto aumentou a vontade de chegar o dia da minha estreia nas maratonas ao lado dos amigos Baleias.
Ano que vem estaremos juntos e espero que o "palco" seja Santiago.

Dani disse...

Oi Miguel. Que maravilha hein, viagem, amigos, passeio e corrida...confesso que fiquei com invejinha...hehehe. Parabéns pela prova.
Bjos,
Dani

jacqueline disse...

Realmente foi maravilhosa a maratona. Percurso bonito. Maratona organizada. Excelente acolhida. Clima de união e solidariedade.
E, para iluminar ainda mais a maratona, encontrar os "baleias", sinônimo de alegria e muitas boas risadas!!!
Um abraço. Jacque -Acorja PE

Silvio disse...

Baleias,
esse tal de Fuzil, Tinil, seja lá o nome que este sujeito tenha, não está com nada. Quero vê-lo sub 3h.
Brincadeiras deixadas de lado, digo sinceramente que estão todos de parabéns. Brilhante prova e belíssimo texto escrito por Miguel.
Valeu mesmo.
Silvio
Londrina/pr.

Anônimo disse...

Valeu Miguel. Valeu meu grande novo coleguinha WU. Ainda nos encontraremos nos subterrâneos sulamericanos para, quem sabe, correr outras maratonas juntos mas, com certeza, beber com o parceiro WU muitas cervejas...
Obrigado aos amigos da trinca BALEIAS pelos momentos de alegria e descontração proporcionados. Ao Dalwton e demais amigos Pernambucanos e Cearenses um abraço forte e a certeza de encontrarmos nestas corridas da vida.
Miguel, lembrando, a de Roma não valeu. O placar está 11 a 2 para o meu coleguinha....
Belo texto. Me emocionei de novo....
TINIL

Ivo Cantor corre e conta disse...

Soubesse eu que haveria este histórico encontro com Pablo Neruda, teria pedido a vocês que o instassem a declamar este belo poema, autoria dele e favorito meu.

ODA AL GATO, de Pablo Neruda, in “Navegaciones y regresos, ed.Losada, Biblioteca
Clásica e Contemporânea, Buenos Aires, AG, 1959.
Los animales fueron imperfectos, largos de cola, tristes de cabeza.
Poco a poco se fueron componiendo
Haciéndose paisaje, adquiriendo lunares, gracia, vuelo.
El gato, solo el gato apareció completo y orgulloso : nació completamente terminado,
camina solo y sabe lo que quiere.
Eu hombre quiere ser pescado y pájaro, la serpiente quisiera tener alas, el perro es um León
desorientado, el ingeniero quiere ser poeta, la mosca estudia para golondrina, el poeta trata
de imitar la mosca,
Pero el gato
Quiere ser sólo gato
Y todo gato es gato desde bigote a cola
Desde presentimiento a rata viva, desde la noche hasta sus ojos de oro.
No hay unidad como él, no tiene la luna ni la flor tal contextura :
Es uma so cosa como el sol o el topacio,
Y la elástica linea em su contorno
Firme y sutil es como la linea de la proa de uma nave.
Sus ojos amarillos dejaron uma sola ranura
Para echar las monedas de la noche.
Oh pequeño emperador sin orbe,
Conquistador sin patria, mínimo tigre de salón, nupcial sultan del cielo
De las tejas eróticas, el viento del amor en la intemperie
Reclamas cuando pasas y posas cuatro pies delicados en el suelo, oliendo,
Desconfiando de todo terrestre,
Porque todo es inmundo
Para el inmaculado pie del gato.
Oh fiera independiente de la casa, arrogante vestigio de la noche,
Perezoso, gimnástico y ajeno,
Profundísimo gato,
Policia secreta de las habitaciones, insignia de um desaparecido terciopelo,
Seguramente no hay enigma em tu manera, tal vez no eres misterio,
Todo el mundo te sabe y perteneces al habitante menos misterioso,
Tal vez todos lo creen dueños, propietarios, tíos de gatos, compañeros, colegas,
Discipulos o amigos de su gato.
Yo no.
Yo no subscribo.
Yo no conozco al gato.
Todo lo sé, la vida y su archipíélago, el mar y la ciudad incalculable,
La botánica,
El gineceo com sus extravíos,
El por y el menos de la matemática,
Los embudos volcánicos del mundo,
La cáscara irreal del cocodrilo,
La bondad ignorada del bombero,
El atavismo azul del sacerdote,
Pero no puedo descifrar um gato.
Mi razón resbaló em su indiferencia,
Sus ojos tienen números de oro.

Ivo Cantor corre e conta disse...

Felinidades à parte, estou extasiado com os belos resultados da Equipe Baleias. Não poderia ser de outra forma : a troupe só se desloca na certeza de assombrar damas e varones, por onde quer que passe.
Boquiaberto me mantenho ao me deparar com esta foto do jantar de massas : o que Miguel Delgado está fazendo para que a recepcionista à sua frente sorria daquela forma?

olicio disse...

olá turma voces estão demais, mais uma maratona e uma aventura que jamais sera esquecida, parabéns.
um abraço.

Carlos Henrique disse...

Apos apreciar com calma o primor de mais um registro de nosso grande Miguel, duas coisas me chamaram bastante atenção. Não sabia deste lado ciumento...rsrs de nosso Baleia Mor, e a outra, que eu nem iria citar mas fui incentivado pelo comentário do Ivo Cantor, a foto do jantar de massas está um tanto quanto comprometedora...
No mais, reforçando tudo que todos já disseram,
ESTES BALEIAS SÃO DEMAAAAAIIIIISSSSSS!!!!!

Lia Campos disse...

Pôxa, Miguel!
Fiquei emocionada com a designação de "maratonista" atribuída a minha pessoa. E não é que sou mesmo?! Quem correu somente a primeira maratona já é, né?
Em relação à Foz do Iguaçu, não falei nada de correr a maratona lá! Minha intenção era correr a Meia em maio, mas houve um grande imprevisto e vou considerar seriamente a possibilidade de encarar com vcs os 42km em setembro.
Grande abraço!
Lia

Ivo Cantor corre e conta disse...

Desta vez fui salvo pelo Carlos Henrique. Pensei cá com meus velcros : escrevo ou não escrevo? mas a foto é sugestiva e não poderia deixar de comentar. Perco o amigo mas não perco a piada. Miguel Delgado, ficou magoado comigo ou conosco ou não?

satrijoe disse...

Miguel,
seu relato de corrida é quase um Lusíadas ou mesmo a Odisseia de tão rico em detalhes, sem contar na fartura de fotos (mais um aqui pra engrossar o coro sobre a foto intrigante da mocinha no almoço/jantar de massas...).

Admiro muito a entrega e a emoção nesse contato com o povo chileno e os colegas corredores.

Também fiz o passeio pela morada de Neruda. Pelo visto pegaram bom tempo!

Imagino que não tenha rolado a partida de futebol. Condições não propícias?

Parabéns pela melhora comparada a Roma e o negócio é treinar mais (ou melhor) pra dar o troco no amigo Wu.

Abraços,
Shigueo